Mapa de Editais

Brasileiros fazem balanço positivo da Womex 2014

 

Brasileiros selecionados pelo Programa Conexão Cultura Brasil #negócios
que participaram da WOMEX 2014 (Foto: Yves Carneiro Finzetto)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cerca de três mil pessoas circularam durante os cinco dias na maior feira de música do mundo, a Womex. A edição de 2014, que comemora os 20 anos do evento, realizada em Santiago de Compostela, na Espanha, foi, segundo a organização, a mais concorrida dos últimos cinco anos.

Diversos brasileiros estiveram presentes, 20 deles selecionados pelo Programa Conexão Cultura Brasil #negócios, edital que tem como objetivo oferecer oportunidades aos empreendedores da cultura de abrir novos mercados para seus bens e serviços criativos.

Leia também:

Os selecionados receberam ajuda de custo para participar dos espaços de negócios da Womex. "De todas as feiras que já fui, acredito que essa é a que estou saindo com coisas mais concretas. Tive resultados de projetos futuros em parceria com o mercado internacional", disse o responsável pelo selo Assustado Discos, de Pernambuco, Rafael Cortes Siqueira, que trabalha com artistas como DJ Dolores, Mundo Livre S/A, Autoramas, B Negão, dentre outros.
 
Neste ano, a feira contou com a presença de 1.470 empresas de 90 países, um índice 16,66% maior que o da edição anterior.  "A Womex é frenética. Seria ótimo se houvesse mais dias. Não conseguimos fazer todos os contatos que gostaríamos, mas conseguimos fazer muitas articulações", relata a representante do Festival de Música Contemporânea e Culinária Tradicional Mineira, Laylah Gouvêa Aburachid.
 
Para além dos negócios gerados, a feira é um espaço de intercâmbio de conhecimento e renovação de informações e tendências sobre o setor. "É uma oportunidade de encontrar as pessoas que realmente trabalham com o mercado da World Music. Aqui conhecemos como pessoas de outros países estão trabalhando, as diferentes formas de financiamento e de produção cultural", afirma o produtor do Coletivo Panorama do Choro e de outros artistas, Yves Carneiro Finzetto. 
 
A feira profissional da Womex 2014 teve 22 conferências e 17 reuniões de networking. A empreendedora Myriam Taubkin falou da "importância de vir com ouvido aberto e atento, para além do roteiro das conferências". A produtora dos documentários "O Brasil da Sanfona" e "Violeiros do Brasil" destacou "a maravilhosa mostra audiovisual" em que participou durante o evento.
 
Com 668 exibidores, de 47 países, e um recorde de 280 estandes, é quase impossível articular com todos presentes. O produtor do GOG e Sr. Gallo, entre outros artistas, Elton Aparecido de Oliveira, conta que sua "tática foi de participar das conferências e, quando elas terminavam, fazer contatos e trocar cartões, explicando o trabalho desenvolvido no Brasil".
 
Laylah Gouvêa Aburachid dá outra dica e avisa: "As pessoas que não conseguem fechar negócios é porque não dão continuidade ao contato". Segundo ela, que já está em sua quinta edição da feira, "não adianta nada vir e não manter a relação que estabeleceu. Você faz 100 contatos e tem que dar retorno. Quando faço minhas reuniões, tomo o cuidado de anotar algo pessoal para responder no e-mail. Aí a pessoa que recebe sabe que você se lembrou dela".
 
Conexão Cultura Brasil #negócios na Womex 2014
 
O edital Conexão Cultura Brasil #negócios selecionou empreendedores para três eventos internacionais estratégicos: o World Music Expo - WOMEX 2014, o Festival Santiago a Mil 2015 e a Feira Internacional de Arte Contemporânea - Arco Madrid 2015.
 
Para o Womex 2014, a Secretaria da Economia Criativa recebeu 143 propostas, das quais 20 foram selecionadas. Lailah Gouvêa Aburachid ressalta que "a iniciativa é louvável. É um investimento pequeno se pensarmos no desdobramento que ele pode proporcionar para os artistas brasileiros". 
 
A feira é uma grande oportunidade de networking para os empreendedores do setor musical, já que reúne empresas e formadores de opinião do mundo inteiro que buscam novidades e oportunidades de negócios. Elton Aparecido de Oliveira conta que foi sua primeira vez na Womex e na Europa e avalia como positiva a presença da delegação brasileira na feira. "Fiquei impressionado com o quanto as pessoas dão importância para nossa cultura. Existe um interesse muito grande pelo Brasil", disse.
 
Todos os anos, participam representantes de festivais, de distribuidoras e de plataformas inovadoras no mercado da música, além de casas de shows, centros culturais, editoras, agentes, selos e imprensa internacional. "Essa iniciativa de promover a vinda desses empreendedores é, sem dúvida, importante para o desenvolvimento do mercado brasileiro da música, e o fortalecimento de nossa rede nacional", afirma Rafael Cortes Siqueira, que comemora oportunidades importantes para seu selo.
 
A seleção desses empreendedores teve como objetivo possibilitar que brasileiros fizessem negócios e exportassem a música brasileira para os mais variados destinos. A delegação representou artistas como Panorama do Choro, Carlos Malta e Pife Muderno, Mariene de Castro, BNegão, DJ Dolores, Mundo Livre S/A, o rapper brasiliense GOG, Anelis Assumpção, a Orkestra Rumpilezz, Autoramas, Maíra Freitas, Virgínia Rodrigues, Wilson das Neves, Orquestra Imperial, Nicolas Krassik, Marcos Sacramento, Grupo Bixiga 70, João Bosco e Vanessa Da Mata.
 
Além dos vinte empreendedores selecionados pelo MinC, a comitiva brasileira contou com a presença de empresas participantes do projeto Brasil Music Exchange (parceria entre a Apex-Brasil - Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos e o BM&A - Brasil Música e Artes). Além desses, empresários fluminenses estiveram presentes por meio da missão internacional liderada pelo Sebrae/RJ.
 
Fonte: Portal do Ministério da Cultura

Chamamento de propostas artísticas e culturais para a Virada Cultural Paulista 2015

As inscrições são para shows e espetáculos de música, dança, circo, teatro e infantil. A Virada Cultural Paulista recebe também projetos de performance, stand-up e cultura popular.

A Virada Cultural Paulista promove, durante 24 horas, a circulação de programação artística em todas as regiões do Estado de São Paulo de forma simultânea.

Realizada desde 2007, em 2014 a Virada aconteceu em dois finais de semana de maio, levando 976 atrações de diversas linguagens para mais de 150 palcos e espaços de apresentação de 28 cidades do interior e litoral paulista, proporcionando ao público a vivência de uma programação cultural gratuita de alta qualidade e  diversificada.

O evento acontece em teatros e espaços abertos. A programação sequencial demanda atrações com curto tempo para montagem e desmontagem de cenários e/ou equipamentos, podendo também ser passível de adaptação (em comum acordo com a produção).

A produtora Trilha Cultural já está desenvolvendo os projetos para a participação da Virada Cultura 2015, entre em contato.

Mais informações acesse:  APAA

Abertas vagas para residência criativa no Reino Unido

 
A Secretaria da Economia Criativa do Ministério da Cultura, em parceria com o British Council, oferece três vagas em residências artísticas em diferentes instituições do Reino Unido. As residências têm duração de duas semanas e os candidatos precisam ter nível intermediário de inglês para acompanhar as atividades. 
 
Os interessados devem se inscrever para as vagas por meio do British Council e simultaneamente no edital Conexão Cultura Brasil Intercâmbios para obtenção de ajuda de custo para a cobertura de gastos da viagem. As inscrições para viagens em janeiro, fevereiro e março devem ser feitas até o dia 7 de novembro. 
 
Os candidatos devem fazer parte de um hub criativo (espaço de trabalho compartilhado) no Brasil, pois o objetivo das residências é a criação de intercâmbio e cooperação de longo prazo entre as organizações.
 
Veja abaixo mais detalhes:
 
CCA em Glasgow
 
O CCA atua como um hub criativo em Glasgow, na Escócia, oferecendo exposições, sessões de cinema, shows, performances e outras oportunidades de participação em atividades artísticas. O CCA opera a partir de modelos de gestão inovadores e colaborativos que envolvem 16 organizações que atuam e estão sediadas no centro da cidade. 


Makerversity, em Londres 

O hub criativo Makerversity, em Londres, na Inglaterra, agrupa cerca de 150 indivíduos e organizações em torno da cultura faça você mesmo (cultura maker), com foco especial em práticas de inovação nas áreas de manufatura digital, arte interativa, ciência material, customização de massa e arquitetura.

Chapter, em Cardiff

Já o hub criativo Chapter, em Cardiff, no País de Gales, é voltado à programação artística como foco em filme, cinema, plataformas digitais e artes visuais.
 
Outras 14 instituições internacionais oferecem mais de 80 vagas de formação em cultura e arte dentro do Programa. Informações sobre as oportunidades estão aqui.

Economia criativa e cultura digital: estágio para pesquisadores na Creativeworks em Londres

Pesquisadores de economia criativa e cultura digital no Brasil têm oportunidade única de estágio de três (3) meses no Creativeworks, a partir de janeiro de 2015. A organização, concectada a diversas iniciativas importantes de Londres e do Reino Unido, oferece duas (2) vagas de estágio para investigação em direitos digitais para a criatividade. As oportunidades são fruto da parceria da Secretaria da Economia Criativa com o British Council.

O Creativeworks é um hub criativo que tem por objetivo o desenvolvimento de parcerias estratégicas com negócios criativos e organizações culturais, objetivando fortalecer e diversificar suas atividades de pesquisa e aumentar o número de iniciativas da área.

O intercâmbio é o início de uma pesquisa integrada que visa estabelecer uma colaboração de longo prazo entre os selecionados, suas instituições de ensino e o Creativeworks.

Durante os três meses do intercâmbio os selecionados irão investigar como estimular as atividades criativas de comunidades dinâmicas e inovadoras a partir da perspectiva da cultura digital.

Vaga de estágio

Investigação em direitos digitais para a criatividade, objetivando estabelecer comunidades voltadas à inovação e investigar sobre as interface entre atividades criativas e dinâmicas de inovação.

Quantidade de Vagas: 02
Início: Janeiro a Março de 2015
Duração: 12 a 36 semanas
Idioma: Inglês (intermediário)

Mais Informações no Brithish Council Site da instituição