Música

 

 
São onze anos de editais Natura Musical e mais de 1500 projetos inscritos apenas em 2016. O programa, que foi criado em 2005 para dar um destino transparente e democrático a recursos das leis de incentivo fiscal, tem hoje uma forte assinatura na renovação e preservação da música brasileira: já apoiou mais de 1350 produtos culturais (mais de 1200 shows, 132 CDs, 26 DVDs, 21 livros e 5 filmes) chegando diretamente a 1,3 milhão de pessoas, com mais de 1,5 milhões de seguidores no ambiente digital.  
 
Em média, foram lançados 20 discos por ano, com destaques em listas de melhores do ano e premiações nacionais e internacionais.
 
 
Conheça os 25 novos integrantes do elenco do Natura Musical que alimentam nossas expectativas musicais para 2017:
  
Edital Nacional
 
Anelis Assumpção
 
Hermeto Pascoal e Big Band
 
Johnny Hooker
 
Nina Becker
 
Paulo Miklos
 
Xênia França
 
 
Edital Nacional – Voto Popular
 
Rubel
 
Sofia Freire
 
 
Edital Rio Grande do Sul
 
Dingo Bells
 
Dom La Nena
 
Quinteto Persch: “Chiquinho Radamés”
 
Renato Borghetti e Yamandu Costa
 
 
Edital Bahia
 
Livia Mattos
 
Talita Avelino
 
Lucas Santtana
 
Mateus Aleluia: “Nós Os Tincoãs”
 
OQuadro
 
 
Edital Pará
 
Arthur Nogueira
 
Lucas Estrela
 
Luê
 
Os Reis do Eletro
 
Paulo André Barata
 
Pio Lobato
 
Strobo
 
Xangai
 
 
As propostas foram avaliadas por uma comissão de especialistas com a participação de personalidades do meio musical: André Midani, Carlos Miranda, Fafá de Belém, Melina Hickson e Luciano Salvador Bahia. Ao comentar os projetos inscritos, Midani destaca três grandes percepções: o “alto nível das propostas”, “a surpresa com a grande presença de artistas cujo talento já é reconhecido em busca de patrocínio” e o que mais o comove: a desproporção que ainda existe entre compositores e compositoras. “Enquanto os rapazes falam desde 45 sem parar, as meninas foram silenciosas durante muito tempo”. Para Midani, a evolução das questões de gênero faz com que seja cada vez mais importante a mulher assumir temas que, com a exposição do machismo reinante por décadas no cancioneiro brasileiro, tendem agora a ficar um pouco relegados na música. “As mulheres precisam dar voz a sua poesia”, clama Midani.
 
Na opinião da cantora Fafá de Belém, o Natura Musical abre uma janela para o que não está no mainstream. “Conheci artistas que nunca havia ouvido que já estão por aí e trabalhos que não cabem nos modelos de três ou quatro segmentos que hoje dominam as gravadoras”, comenta. “Já na hora da escolha foi uma tortura, porque era muita música para ouvir, mas defendi alguns artistas com unhas e dentes”, revela.
 
Carlos Miranda, outro olho nato para identificar talentos, resume a tônica da seleção neste ano: “abrir oportunidades para artistas inovadores, diferentes, valorizando mais o pop”. “O grande volume de projetos inscritos se apega a uma espécie de mito de que Natura Musical é só MPB, quase não vemos projetos de rock, por exemplo, embora o regulamento do Natura Musical veja a música brasileira com olhos mais abertos”, explica.
 
Foram disponibilizados 4,6 milhões pelos editais nacional (1,8 milhão) e regionais: Bahia e Pará (1 mi por Estado) e Rio Grande do Sul (800 mil), com apoio da Leis Rouanet e do Audiovisual, em nível nacional, e do ICMS nos Estados.